fbpx

Como evitar a demora nas aposentadorias: dicas para acelerar a sua.

A imagem mostra um homem com a mão no queixo olhando para frente, pensativo. Ilustra a publicação "Como evitar a demora nas aposentadorias: dicas para acelerar a sua", da Koetz Advocacia.

Você sabia que há como evitar a demora na sua aposentadoria? Muitas pessoas acham que não, mas alguns cuidados podem ser tomados para o pedido não demorar mais que o necessário. Contudo, isso exige planejamento, organização e conhecimento sobre o seu direito. Veja o que você pode fazer.

Informações importantes para evitar a demora na sua aposentadoria

Conseguir o benefício da aposentadoria pode ser um processo demorado e muito difícil para muitos profissionais. Certamente isso acontece tanto por motivos pessoais do segurado, quanto pelo próprio regime de previdência.

Assim, se o trabalhador não conhece as etapas para conseguir a aposentadoria, ele pode agir de forma incorreta e ter seu pedido negado. E, da mesma forma, os Regimes de previdência também podem fazer cálculos errados e até mesmo perder documentos.

Por isso, se você pretende se aposentar em breve, ou mesmo daqui alguns anos, o ideal é realizar alguns passos que permitem evitar a demora na sua aposentadoria. Leia até o final para entender eles.

1. Conheça quais são os seus direitos previdenciários

Antes de tudo, é preciso que você conheça os seus direitos. Sem conhecer os direitos previdenciários que você pode utilizar e que se encaixam no seu caso, você pode sofrer com demoras no processo, com investimentos desnecessários e até com um valor injusto de benefício.

Isso porque você pode acabar pedindo a sua aposentadoria antes de completar os requisitos, o que vai fazer ela ser negada. Na prática, isso gera uma demora desnecessária, porque o pedido precisa ser refeito do zero. Além disso, você também pode acabar demorando mais para pedir o benefício, ou seja, mais demora desnecessária.

Mas como evitar a demora nas aposentadorias conhecendo os direitos previdenciários corretos? Primeiramente, os RPPS, no caso dos servidores, geralmente têm regras bem organizadas e definidas, então conhecer a regulamentação do RPPS é um ótimo começo. Mas no caso de quem se aposenta pelo INSS, pode ser mais complexo. Hoje em dia já existem centenas de advogados explicando as leis, decisões, jurisprudências, etc, na internet, com uma linguagem acessível. O nosso blog é um exemplo.

Por isso, claro, se informe no INSS, mas busque também fontes alternativas confiáveis de informação previdenciária.

2. Entenda qual a melhor regra para evitar a demora na sua aposentadoria

Para evitar a demora nas aposentadorias, é necessário que o segurado entenda qual a melhor regra para o seu caso, já que cada pessoa vai se aposentar por uma regra diferente.

Desse modo, as regras variam de acordo com o tipo de profissão e contribuição feitas à previdência. E elas podem impactar diretamente na demora do seu processo previdenciário.

Alguns exemplos de regras que você pode ter direito são:

  • Aposentadoria Especial por insalubridade ou periculosidade;
  • Especial com atividade com natureza policial;
  • Servidor Público comum, especial ou com integralidade no RPPS;
  • Servidor Público comum ou especial no INSS;
  • A especial de professores no serviço público;
  • de professores especial no ensino privado;
  • Aposentadoria Especial da Pessoa com Deficiência;
  • Rural ou Pesca em regime familiar (segurado especial);
  • Por invalidez.

No nosso blog, você encontra outras regras. A saber, você pode selecionar a opção do menu de categorias aqui do lado direito do texto ou pesquisa no nosso sumário.

Algumas regras de aposentadoria após a reforma. O texto continua após o vídeo.

3. Organize e reúna os documentos necessários

Após entender as regras que podem trazer o melhor benefício, você precisará organizar e reunir os documentos necessários para comprovar o tempo de contribuição e, assim, evitar a demoras nas aposentadorias.

Assim sendo, os tipos de documentos que o segurado deve reunir vão depender da regra que ele deverá seguir. Mas vamos citar exemplos a seguir:

Atenção: não esqueça de guardar e atualizar todos os documentos que você recolheu durante todo o tempo de contribuição. Ou seja, além de coletar todos os documentos comprobatórios necessários, é importante também mantê-los atualizados.

Então, não deixe de guardar tudo que seja prova útil para sua aposentadoria.

4. É preciso revisar a CTC

A certidão de tempo de contribuição é um documento muito importante para verificar os registros de todos os períodos trabalhados de quem é ou foi servidor público, bem como de quem contribuiu para diferentes regimes previdenciários. Além disso, é também um documento que consta o período de atividade especial.

Dessa maneira, é indispensável revisar a CTC para evitar a demora na aposentadoria. Porque se na CTC não constar o reconhecimento do tempo de contribuição, a aposentadoria que o profissional tem direito pode ser negada.

Para reverter isso, então, seria necessária uma ação que pode levar até 5 anos, atrasando a conquista do direito. Assim, revisar a CTC é uma forma de não atrasar a sua aposentadoria por tanto tempo!

5. Evitar informações incorretas no CNIS

Fique atento para o seu CNIS, pois ele pode conter divergências! Isso porque é possível que alguns períodos não constem no sistema da previdência.

Se você sabe que possui tempo de contribuição suficiente para aposentadoria, mas algum período não consta no CNIS, seu pedido possivelmente será negado. Se acaso isso ocorrer, faça um agendamento no INSS pelo site, pedindo a revisão do CNIS e leve até a agência algo que comprove o tempo de trabalho que não está registrado no documento.

Essa comprovação pode ser feita através da carteira de trabalho e de contracheques, bem como por documentos alternativos.

Advogada na Koetz Advocacia, inscrita na Ordem dos Advogados do Brasil Seção de Santa Catarina sob nº 47.372 e Seção do Rio Grande do Sul sob o nº 110535A. Bacharel em Direito pela Faculdade Cenecista de Osório – FACOS. Pós-Graduanda em Direito Previdenciário pela Escola Superior da Magistratura Federal do Rio Grande do Sul (ESMAFE/RS)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *