fbpx

Quanto o autônomo deve contribuir para o INSS para se aposentar?

A imagem mostra um homem sorrindo e ilustra a publicação "Quanto o autônomo deve contribuir para o INSS para se aposentar?", da Koetz Advocacia.

Existem muitas dúvidas sobre a aposentadoria do autônomo, e saber quanto o autônomo deve contribuir para o INSS é uma delas. Além disso, se você não pagar corretamente e não comprovar que trabalhou como autônomo, pode ter prejuízos na hora de se aposentar. Entenda no texto.

Quanto o autônomo deve contribuir para o INSS?

Quanto o autônomo deve contribuir para o INSS varia conforme a renda e o serviço prestado. Ficando assim:

  • Serviço prestado para uma empresa (PJ): o responsável pelo pagamento será da empresa;
  • Serviço prestado para pessoa física (“CPF”): na maior parte dos casos, será 20% do montante recebido no mês, até o limite do teto do INSS;
  • Para autônomos de baixa renda: 5% do salário mínimo, entretanto, somente terá direito à aposentadoria por idade e não terá direito à CTC;
  • Para autônomos no plano simplificado: 11% do salário mínimo, entretanto, somente terá direito à aposentadoria por idade e não terá direito à CTC;

Vale acrescentar que autônomos no plano simplificado são apenas aqueles que não prestam serviços à empresas, somente à pessoas físicas.

 

O texto continua após o vídeo.

Qual o valor mínimo para pagamento do INSS como autônomo?

O valor mínimo para o pagamento de autônomo para autônomos de baixa renda é 5% do salário mínimo, ficando em 2021 no valor de R$55,00. Porém, nem todos autônomos podem pagar esse valor. Desse modo, o valor mínimo para autônomo que presta serviço somente para pessoas físicas, é 11% do salário mínimo, ou seja, R$121,00 em 2021. Por fim, os demais autônomos deverão pagar 20% sobre o valor que receberem no mês.

Se acaso desejar assistência jurídica dos nossos advogados especializados para dar entrada na sua aposentadoria como autônomo, clique aqui para acessar a área de atendimento e solicite o seu.

Como fazer para pagar o INSS por conta própria?

Para pagar o INSS por conta própria você deve gerar uma Guia da Previdência Social (GPS), que funciona como um carnê mensal. A guia pode ser paga em algum banco que você tem convênio, casa lotérica e até pela internet, por meio dos aplicativos de bancos. Para entender mais sobre a emissão, como pagar e preencher, acesse aqui.

Além disso, para saber se você fez as contribuições para o INSS, acesse o CNIS (Cadastro Nacional de Informações Sociais) e veja se o pagamento consta no sistema. Se não estiverem, você poderá quitar o débito, levando suas provas de contribuição para pagar e incluir o tempo que falta.

Qual a melhor forma de contribuir para o INSS para autônomo?

A melhor forma de contribuir para o INSS como autônomo varia conforme o tipo de serviço e receita que você tem. Se presta serviços para empresas, a empresa é responsável por contribuir para o INSS do autônomo. Entretanto, nos demais casos deverá gerar a GPS, guia da previdência social, e realizar o pagamento, pela internet, banco ou lotérica autorizada. O valor muda conforme o valor que você recebe. Se acaso for autônomo de baixa renda, deve pagar 5% do salário mínimo, e se for prestador de serviço exclusivamente para pessoa física, 11% do salário mínimo. Nos demais casos, deve pagar 20% do total que recebe.

Se acaso desejar assistência jurídica dos nossos advogados especializados para dar continuidade na sua aposentadoria como autônomo, clique aqui para acessar a área de atendimento e solicite o seu.

Quem paga INSS como autônomo tem direito a quê?

Quem paga INSS como autônomo tem diferentes benefícios dependendo do seu caso. Por exemplo, se for pago como autônomo de baixa renda, com o valor de R$55, ao se aposentar você pode ter direito a uma aposentadoria no valor de um salário mínimo, que atualmente é de R$1100, e só tem direito à aposentadoria por idade. Da mesma forma, tem direito apenas à aposentadoria por idade autônomos que pagam 11% da remuneração, seja prestando serviço para uma empresa ou trabalhando por conta própria.

Já quem contribui com 20% do salário, até o teto do INSS, tem direito à aposentadoria tanto por idade, quanto por tempo de contribuição, regras de transição e certidão por tempo de contribuição.

Para entender como a Reforma da Previdência mudou as regras a aposentadoria do autônomo, baixe o guia rápido clicando na imagem a seguir.

Banner para baixar o guia rápido da reforma da previdência. Elaborado pela Koetz Advocacia.

Advogado inscrito na OAB/SC 50.180, Pós Graduado em Direito Previdenciário pela Faculdade CESUSC, Graduado como bacharel pela Universidade de Santa Cruz do Sul - RS, Sócio no escritório Koetz Advocacia Previdenciária.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *