Professor, como fica sua aposentadoria amanhã, se a Reforma da Previdência for aprovada hoje?

A Reforma da Previdência já foi enviada para o Congresso e foi aprovada pela Comissão de Constituição e Justiça (CCJ). O próximo passo é seguir para a Assembleia Legislativa e se for aprovada vai para o Senado. Esse processo pode ser muito rápido. Você professor, já se perguntou: Como fica sua aposentadoria amanhã, se a Reforma da Previdência for aprovada hoje?

A Reforma da Previdência vai prejudicar a aposentadoria dos professores em geral, mas as mais prejudicadas são as mulheres. Para Reforma, a idade mínima para aposentadoria vai passar a ser de 60 anos para ambos os sexos.

Hoje, as mulheres professoras podem se aposentar com 25 anos de profissão, independente da idade. E os homens podem se aposentar com 30 anos de profissão, também independente da idade.

Com a Reforma da Previdência, além de ter os 60 anos de idade, homens e mulheres vão precisar comprovar 30 anos de profissão para poderem se aposentar.

Vamos a um exemplo prático. Digamos que uma mulher chamada Maria começou a dar aula aos 25 anos, hoje aos 50 anos ela já poderia se aposentar.

Com a Reforma da Previdência, a professora Maria vai se aposentar somente dez anos mais tarde, ou seja, ao atingir os 60 anos.

Agora vamos ao exemplo do João. João também começou a dar aula aos 25 anos. Hoje, com 55 anos, João já poderia se aposentar.

Agora se a Reforma da Previdência for aprovada o professor João vai se aposentar somente aos 60 anos. Ou seja, 5 anos mais tarde.

Não haverá nenhum tipo de compensação do Governo para os 10 anos a mais que as professoras vão ter que trabalhar. E também não haverá nenhum tipo de compensação para os 5 anos a mais que os professores vão ter que trabalhar.

Por que os professores podem se aposentar mais cedo

Diversos são os motivos para o professor se aposentar mais cedo, entre eles, o estresse em sala de aula, a exposição ao pó de giz. E o mais citado pelos sindicatos que é: as horas extras que são utilizadas para que os professores preparem as aulas.

Além das horas em que passa em sala de aula com os alunos. O professor precisa pensar na aula do dia seguinte, fazer o plano de estudos dos alunos, corrigir provas e trabalhos. Este é um trabalho que não é remunerado.

Ensinar é uma das profissões mais antigas e talvez seja a mais importante da humanidade. Afinal, não haveria médicos, dentistas, advogados, jornalistas, se não houvessem professores. Ainda assim, os profissionais são desvalorizados. E rotineiramente precisam organizar greves para terem os direitos respeitados e as reivindicações atendidas.

Por isso, se aposentar mais cedo nada mais é que uma compensação da sociedade pelos serviços prestados por estes profissionais. O governo sempre entendeu dessa forma. No entanto, a Reforma vai mudar essa concepção.

Sim, os professores ainda vão se aposentar antes que os demais trabalhadores. Com a Reforma, os homens se aposentam aos 65 anos e as mulheres aos 62. Ainda assim, os 2 anos a menos de atividades para as professoras, e 5 anos a menos para os professores não é suficiente para compensar a carga a mais de trabalho que os educadores absorvem ao longo da profissão.

Regra de Transição

Se a Reforma da Previdência for aprovada amanhã, os professores a regra de transição vai ser a seguinte. Os professores vão poder ter 5 anos de contribuição a menos em relação às novas Regras.

Por exemplo, uma mulher que começou a trabalhar com 25 anos, vai poder se aposentar aos 51 anos. Ou seja, não poderá se aposentar mais aos 50, e também não precisará trabalhar até os 55 anos.

Já o homem que começou a trabalhar com  25 anos, vai poder se aposentar aos 56. Ou seja, nas regras atuais ele já se aposentaria aos 55 anos. E com as novas regras aos 60. Sendo assim.

De forma resumida assim que a Reforma for aprovada os professores já vão se aposentar um ano mais tarde.

Agora a partir do dia 1º de janeiro de 2022. As mulheres vão se aposentar dois anos mais tarde, ou seja, aos 53 anos. E os homens aos 57.

Após o período da regra de transição, as mulheres passam a se aposentar 10 anos mais tarde, e os homens 5 anos mais tarde.

E como fica a remuneração?

O benefício para os professores vai ter regras específicas e diferenciadas de acordo com o tempo de serviço do contribuinte.

Quem entrou para o serviço público até dia 31 de dezembro de 2003, e que resolver trabalhar até os 65 anos se homem, e até os 62 se mulher, vai se aposentar com remuneração total. Ou seja, se o salário era R$4 mil quando estava na ativa. O benefício de aposentadoria vai seguir sendo os R$4 mil.

Agora, quem entrou para o serviço público após 2003, o cálculo para saber o valor do benefício será 60% da média de todos os salários mais 2% a cada ano de contribuições mensais feitas, que excederem os 20 anos de contribuição, que exceder o tempo de 20 anos de contribuição

Vamos a um exemplo prático, uma professora de 25 anos que entrou no serviço público em 2004 recebendo R$2 mil. Em 2014 este salário havia passado para R$3mil, e em R$2031, já estaria com 50 anos, recebendo R$5 mil  de benefício. Isso Pelas regras atuais.

Agora se a Reforma da Previdência for aprovada, essa mesma professora vai se aposentar somente em 2041, com 60 anos. E ela vai receber um benefício em torno de R$2.500.

Clique no botão abaixo para baixar o guia completo sobre a Aposentadoria Especial do Professor. A leitura é dinâmica e vai te ajudar a ficar bem informado sobre os seus direitos!

10 comentários em “Professor, como fica sua aposentadoria amanhã, se a Reforma da Previdência for aprovada hoje?”

  1. Maria Tereza ceschin celjar

    Tenho direito adquirido, pois já completei o tempo e a idade p requerer a aposentadoria (embora continue trabalhando),incluindo aí o direito a integralidade e a paridade, pois entrei no serviço público antes de 2003. Porém, li na imprensa que a Reforma vai mexer em direitos dos professores que ampliaram a carga horária, no meu caso passei de 16 p 20 horas, aumentando assim os meus vencimentos. O projeto é de fazer uma média entre os vencimentos proporcional a 16 e 20h. A dúvida é, o “direito adquirido” vai prevalecer, ou seja, as regras de cálculo quando me aposentar serão as atuais, em todos os aspectos, ou não?

  2. boa tarde,sou professora estatutária estabilizada no meu município de desde 01/12/1988.tenho 51 anos de idade e trabalho em sala de aula até hoje com educação infantil. Embora, o município tenha previdência própria minhas contribuições vão para o regime geral- INSS. Fui pedir minha aposentadoria e me falaram que ainda tenho muitas percas.
    Quero saber, se tenho direito ao complemento de aposentadoria,já que cumpri com todos requisitos trabalhistas do magistério.

  3. Boa tarde,

    hoje a professora precisa ter 50 anos e o professor 55 anos. Há obrigatoriedade de idade mínima e tempo 25 mulher e 30 homem. Quem acabou com a livre idade foi FHC. Muitos professoras se aposnetaram com 43 anos de idade pois começaram a lecionar aos 18 anos. Isso não existe mais desde a década de 90.
    Gostaria de saber o que fazer quando saindo de uma docência municipal e entrando em uma docencia estadual ou federal, os incapazes secretários não cuidam do hiato de tempo deixando um dia de intervalo e a coordenadoria que cuida disso não quer arrumar a data. O que fazer sendo que o professor perderá em sua aposentadoria a integralidade (pois é servidor desde 1990) e os aumentos salariais da categoria?

    Atenciosamente,

  4. minha profisao tem um nome generico ou seja
    FUNILEIRO, LANTERNEIRO, E CHAPEADO OU CHAPISTA
    sendo que todos estes nomes se referi a mesma profisao
    em mina crateira de trabalho consts FUNILEIRO em 1991
    pro inss so e espesial CHAPEADO
    o que faze neste caso?

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *