Planejamento de aposentadoria ajuda o Servidor da Saúde

O Planejamento de Aposentadoria evita diversos riscos à aposentadoria do Servidor da Área da Saúde.

O Servidor Público da Área da Saúde tem direito à Aposentadoria Especial desde que comprove atividade em ambiente insalubre. Também tem direito à complementação da aposentadoria, mesmo em municípios que não possuem Regime Próprio de Previdência Social (RPPS). Além disso, para conquistar o benefício é necessário cumprir um tempo mínimo de serviço, quitar possíveis débitos com o INSS (em caso de autônomo), entre outras questões complexas no procedimento de obtenção da aposentadoria. Por isso, listamos algumas facilitações que são proporcionadas pelo Planejamento de Aposentadoria. Confira.

De que forma o Planejamento de Aposentadoria ajuda o Servidor da Saúde?

Evitar reduções

No caso de municípios que não possuem RPPS, o servidor estará automaticamente filiado ao INSS. Assim, dificilmente a aposentadoria será concedida com valor integral do salário que o servidor recebia antes de se aposentar. Entretanto, a integralidade e a paridade do benefício são direitos constitucionais garantidos aos Servidores Estatutários.

Um Planejamento de Aposentadoria poderá antecipar questões como estas e organizar a solicitação da complementação, que deverá ser paga pelo município. Outras reduções também podem ser previstas nesse sentido.

Cálculo correto de valores

Alguns períodos trabalhados não são computados pelo sistema do INSS. Portanto, a contagem ideal do tempo de contribuição deverá ser feita de forma bastante artesanal, anotando tempos de contribuição um a um e buscando comprovações de todos eles. O Planejamento de Aposentadoria também inclui esses cálculos e apresenta um valor aproximado do benefício. Você pode entender melhor como funciona no guia que criamos explicando como é feita a de Contagem de Tempo Especial.

Regularização de Débitos

Para garantir a minimização dos obstáculos para obtenção de seu benefício, é importante se certificar de que todas as contribuições foram feitas da maneira correta. Em alguns casos, por falha do contratante, é possível que elas não tenham sido realizadas adequadamente.
Para esses períodos, o Planejamento de Aposentadoria necessitará da listagem do nome das empresas e períodos de atividade para encontrar a forma correta de regularizar o débito com a previdência.
O comum é que se envie uma solicitação com cópia da carteira de identidade e aviso de recebimento pelo correio para cada uma das empresas ou instituições.

Economia Financeira

No caso de profissionais autônomos, o Planejamento de Aposentadoria também lhe dirá qual é o valor ideal a ser contribuído no INSS. É comum que, equivocadamente, profissionais contribuam no teto com a intenção de atingir o melhor benefício possível. Porém, não é preciso contribuir sempre no teto para garantia do valor mais alto.

Por exemplo, o cálculo da média salarial é feito desconsiderando 20% dos meses trabalhados (aqueles com menor salário). Sendo assim, se você contribuiu o valor máximo por muitos anos, poderá reduzir a contribuição nos anos próximos à aposentadoria sem prejudicar o benefício.
Porém, é fundamental realizar uma análise detalhada dos períodos e respectivas contribuições para que a redução no valor do recolhimento realmente não prejudique o salário da aposentadoria.

Economia de Tempo Pessoal

O processo de aposentadoria é extenso, complexo e exige muitos documentos e comprovações.
Deixar para pensar nisso no momento de obter o benefício acarretará em um desgaste intenso. Para evitar a mudança brusca de sua rotina e fazer tudo com calma e organização, recomenda-se efetuar o planejamento de aposentadoria entre 10 e 5 anos antes da obtenção do benefício.
No caso de profissionais da área da saúde, esse período corresponderia a 15 ou 20 anos após a habilitação profissional ou início da carreira na saúde.

 

Advogado Especialista em Direito Previdenciário e Tributário, Sócio da Koetz Advocacia, professor da Pós Graduação na Verbo Jurídico e no Instituto Brasileiro de Direito - IBIJUS. Articulista no Portal da Transformação Digital

20 comentários em “Planejamento de aposentadoria ajuda o Servidor da Saúde”

  1. Boa noite. Sou servidora pública da Prefeitura municipal de D. de Caxias, técnica de enfermagem. Solicitei minha aposentadoria especial em março de 2015, quando completei 25 anos de trabalho. Porém até o momento não consegui me aposentar. Somente há três semanas providenciaram alguém para fazer os PPPs. Gostaria de saber se devido a toda essa demora caberia um processo a referida prefeitura?
    Também me disseram que não receberei de forma integral, mas sim 91%. Isso é verdade? De posse do PPP quanto tempo ainda terei que trabalhar?
    Obrigada pela atenção.

  2. Boa Tarde Eduardo meu nome é Paulo tenho 39 anos,trabalhei 18 anos de Garçom e trabalho a 2 anos como tec.Emfermagem em centro cirugico,queria saber com quantos anos ainda terei que trabalha na área de saúde para poder mim aposenta

Não é possível comentar.