fbpx
Homem de óculos tomando café e mexendo em notebook. A foto representa alguém buscando informações para saber se planejou a aposentadoria de maneira correta.

Você planejou a aposentadoria corretamente?

Se você planejou a aposentadoria, tomou uma decisão  muito importante para garantir o melhor benefício possível, evitar transtornos na busca de documentos e comprovações, além de minimizar erros de cálculos de tempo ou de valores a serem recebidos.

Planejou a aposentadoria? Saiba como garantir que fez corretamente.

Explicaremos a seguir meios de garantir que você planejou a aposentadoria da maneira correta, reduzindo a possibilidade de dúvidas ou erros.

1. Consultando sindicatos ou associações do seu setor de atividade

Um sindicado ou associação específica do seu setor de atividade buscará apresentar as informações necessárias para sanar dúvidas gerais a respeito de sua aposentadoria. Sendo assim, é possível esclarecer uma série de questionamentos através destes meios. Porém, os sindicatos não são formados por especialistas previdenciários, dão conta de inúmeros assuntos relacionados à classe e, por isso, frequentemente questões complexas relativas à aposentadoria podem não ser resolvidas. Assim, os sindicatos são bons e fundamentais suportes, mas podem não ser tão eficientes para auxiliar quem planejou a aposentadoria quanto alguém com aprofundamento em área previdenciária.

2. Contratando um Contador

É possível contratar um contador para fazer seu planejamento, uma vez que ele está apto para realizar esse trabalho. Entretanto, o contador é um profissional especializado na questão tributária da empresa e da pessoa física. Seu principal foco são os Tributos pagos por elas. O contador irá aplicar esforços em redução de pagamentos, o que não envolve uma série de questões referentes a efeitos previdenciários. Em resumo, planejar a aposentadoria com um contador vai dar prioridade ao pagamento mínimo e economia imediata, o que pode não ser a melhor opção pensando a longo prazo.

3. Contratando um Advogado Previdenciário

O Advogado Previdenciário é especialista em aposentadorias. Sua análise será voltada para obter a maior vantagem possível nesses benefícios e a melhor forma de contribuir. Seu objetivo se baseia em um melhor resultado em relação à seguridade social, especialmente no que diz respeito à aposentadoria. Em alguns casos, também é possível reduzir o valor das contribuições sem prejudicar o benefício futuro.

4. Seguindo um manual de planejamento de aposentadoria

Para aqueles que preferem se inteirar completamente do assunto antes de tomar qualquer decisão sobre investimentos em serviços, é possível realizar o planejamento sozinho utilizando manuais. Nós elaboramos um manual gratuito e digital que demonstra o passo-a-passo do planejamento.

Nele é possível entender como calcular o tempo de serviço, o tempo insalubre, quais as diferentes formas de se aposentar, qual o valor correto a contribuir e qual o valor correto a receber, ou seja, é possível obter uma série de respostas às perguntas mais comuns sobre planejamento de aposentadoria e funcionamento do INSS.

Se você mesmo planejou a aposentadoria, a única desvantagem é que não se obtém o parecer jurídico e pode ser complexo analisar as melhores opções. De qualquer maneira, tentamos deixar o mais claro possível. Para fazer o download do manual, acesse: Como Planejar a Sua Aposentadoria.

Eduardo Koetz

Eduardo Koetz, advogado inscrito nas OAB/SC 42.934, OAB/RS 73.409, OAB/PR 72.951, OAB/SP 435.266, OAB/MG 204.531, sócio e fundador da Koetz Advocacia. Se formou em Direito na Universidade do Vale do Rio dos Sinos e realizou pós-graduação em Direi...

Saiba mais

Compartilhar:

Mão segurando caneta e prestes a escrever em folhas em branco de relatórios e calendários. Há também uma calculadora e alguns intrumentos de dentista sobre os papéis, simbolizando o planejamento da Aposentadoria do Dentista.
Anterior

Porque dentistas devem planejar a aposentadoria

Próximo

Taxa de Câmbio prejudica aposentados

Uma pilha de dólares, um globo e um gráfico com uma seta vermelha crescente, que representam as mudanças da taxa de câmbio.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

José Pedro Cruvinel Amorim Avatar
José Pedro Cruvinel Amorim

Prezado Doutor Eduardo Koetz Gostaria de saber como esta a questão da desaposentação,se ainda é possível entrar com o processo. Aposentei em 1992(especial) com 70% e voltei a trabalhar registrado de 94 ate agosto de 2015,com pequenos intervalos sem trabalhar nesse período. att:José Pedro Cruvinel Amorim

Eduardo Koetz Avatar
Eduardo Koetz

Olá, José. O STF ainda não julgou esta questão. Então sim, ainda é possível entrar com processo de desaposentação. Depois disso é preciso aguardar a decisão. Você pode solicitar uma análise mais completa do seu caso no link https://pages.koetzadvocacia.com.br/aposentadoria-especial

Fabiana Amorim Avatar
Fabiana Amorim

Ainda não fiz uma avaliacao e planejamento da minha situação para aposentaria, mas penso que até o fim do mês terei mais tempo para isso. Porém tenho uma duvida: é preciso apresentar PPP do tempo que contribuí como autônoma, exercendo atividade como dentista? Pretendo somar esse tempo ao da prefeitura para requerer aposentaria especial . Grata, Fabiana.

Eduardo Koetz Avatar
Eduardo Koetz

Olá, Fabiana. Sim, é necessário apresentar o PPP também deste período como autônoma. Já que você tem interesse em se planejar para a aposentadoria, algo que pode lhe ajudar bastante é nossa publicação sobre <a href="https://koetzadvocacia.com.br/em-tempo-de-crise-o-planejamento-de-aposentadoria-e-uma-saida-para-economizar/" target="_blank" rel="nofollow noopener noreferrer ugc">Planejamento Completo de Aposentadoria (clique aqui para ler)</a>.

Eduardo Koetz Avatar
Eduardo Koetz

Olá, Adriana. Não, se possui 30 anos de contribuição, pode solicitar a aposentadoria por tempo de contribuição. Abraços!

Faremos mais que o possível para entregar os direitos aos nossos clientes, sempre.

Insira seus dados ao lado e entraremos em contato com você.