6 riscos da aposentadoria do médico sem planejamento

6 riscos da aposentadoria do médico sem planejamento

14 de fevereiro de 2017 Aposentadoria Especial Médico 0
Médico sentado em corredor de hospital com semblante preocupado analisando documentos, representando a falta de planejamento na aposentadoria do médico

O planejamento de aposentadoria do médico pode ser muito mais do que um recurso para manter a aposentadoria em um processo organizado.

Além disso, alguns benefícios podem ser perdidos pela falta do planejamento, sendo que você pode fazer facilmente este planejamento pela internet clicando aqui.

 

Médico sentado em corredor de hospital com semblante preocupado analisando documentos, representando a falta de planejamento na aposentadoria do médico

Listamos aqui alguns dos meios mais comuns de se perder direitos quando a aposentadoria do médico não é planejada com alguma antecedência:

 

1. Perder alguns meses da aposentadoria;

O médico que não faz planejamento de sua aposentadoria pode não enxergar com clareza a data em que deve se aposentar. Até porque enquanto o INSS ou outro órgão previdenciário analisa seu caso, você segue trabalhando em qualquer situação, mesmo em cargo público.

Perder alguns meses de aposentadoria pode acarretar em um alto benefício financeiro descartado.

Em determinados casos, por exemplo, dez meses da aposentadoria do médico podem ultrapassar 120 mil reais.

O planejamento garante saber com maior precisão em qual data a aposentadoria será alcançada, evitando perdas irrecuperáveis.

 

2. Não enxergar a melhor opção em casos de múltiplas matrículas;

Médicos podem possuir diversos vínculos.

Podem trabalhar de forma autônoma, em instituições privadas, em funcionalismo público (concursado ou não), podem ser sócios ou proprietários de clínica, etc.

As diversas matrículas do médico podem se tornar um assunto complexo na hora de se aposentar.

Isso porque os diferentes vínculos normalmente são acompanhados da dúvida (clique aqui para saber mais) sobre qual é a melhor opção de aposentadoria, análise que será feita em caso de um planejamento.

 

3. Demorar mais que o necessário para se aposentar

Como o tempo insalubre garante Aposentadoria Especial, é possível se aposentar mais cedo do que a aposentadoria comum, cerca de 10 anos antes o médico homem e 5 anos antes a médica mulher (isto porque a mulher sem insalubridade possui redução de 5 anos na aposentadoria comum, e sendo a aposentadoria especial consequencia da insalubridade atinge ambos os sexos igualmente).

Dessa forma, o médico que não possui esta informação pode acabar trabalhando bem mais do que o necessário para se aposentar.

 

4. Não usufruir vantagens de autônomo e empresário

O INSS afirma que médicos que sejam proprietários ou sócios de instituições de saúde ou que trabalhem de forma autônoma não possuem direito aos mesmos benefícios, pois são reconhecidos como empresários.

Porém, essa afirmação pode ser facilmente refutada, uma vez que a aposentadoria se baseia na função exercida. Estes profissionais estão expostos às mesmas condições de trabalho e rotina dos demais médicos e, portanto, conseguem obter os mesmos benefícios.

 

5. Enfrentar complicações de documentação

Como a aposentadoria especial do médico exige algumas comprovações e existe documentação específica também para médicos com diferentes filiações, o planejamento pode simplificar ou organizar melhor a listagem de documentos que serão necessários para encaminhar o pedido de aposentadoria.

 

6. Sobrecarga de atividades

Como a rotina do médico pode ser muito desgastante e intensa, contratar o planejamento da aposentadoria através de um advogado especializado em direito previdenciário é um ótimo meio de não desgastar tempo em busca de documentações e produção de provas.

Na Koetz Advocacia assumimos o ônus de buscar as provas necessárias para o médico e evitar desgastes com a burocracia, facilitando para quem não pode abrir espaço na agenda para resolver problemas junto à Previdência. (encaminhe seu caso para nós em 1 minuto clicando aqui).

Dessa forma, o médico não precisará investir seus esforços em mais uma responsabilidade além daquelas que o exercício de sua atividade já exigem.

 

Professor e Advogado Especialista em Direito Previdenciário, Direito Tributário e Direito do Trabalho, com aprofundamento em Direitos Sociais Internacionais, atuante no Instituto Ibijus e na Verbo Jurídico.

Especialista em Marketing Jurídico Digital e Gestão de Escritórios de Advocacia. Fundador da Koetz Advocacia e CEO da ADVBOX.  Além de Articulista e Autor em vários sítes jurídicos e no Portal da Transformação Digital.

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *